Dicas de São Petersburgo, Helsinki e Amsterdã

Screen shot 2013-04-30 at 10.58.55 AM

Em abril de 2013 fiz uma viagem de uma semana para São Petersburgo, Helsinki e Amsterdã.

Não vou dar aqui dicas básicas e óbvias como ir ao Hermitage, ao Museu Van Gogh ou ao Kiasma. Isso você encontra em qualquer blog/guia. As dicas a seguir são mais de lugares legais para comer e outros comentários que julgo interessantes.

Les voilà:

GERAL

-voei com a KLM, que tinha a melhor tarifa e me deixava parar em Amsterdã na volta. A passagem foi GRU-AMS-LED na ida e HEL-AMS-GRU na volta. Total USD 1064.

-de São Petersburgo para Helsinki fui de trem. O Allegro é operado pela ferrovia finlandesa. É rápido, pontual, limpo e barato. A passagem de primeira classe saiu por EUR 69 e deu para comprar direto no site vr.fi e imprimir o bilhete em casa.

-como estava muito frio, fiz questão de levar uma bota, luvas, gorro, ceroula, pullover de lã e uma jaqueta de pena de ganso. Levei outras roupas na mala que só foram passear, pois acabei não usando o sapato social nem as camisas.

-não precisa de visto nenhum para a viagem. Há alguns anos o Brasil e a Rússia assinaram um acordo que nos isenta do burocrático e chato visto russo. Agora é só mostrar o passaporte e embarcar. Contudo, ao chegar na Rússia é preciso pedir para o hotel te registrar junto à polícia local. É fácil e eles fazem para todos os hóspedes estrangeiros.

SÃO PETERSBURGO

Screen shot 2013-04-30 at 11.03.30 AM

-fiquei hospedado no hotel Domina Prestige. Além de ser novo, fica superbem localizado e tem diárias razoáveis.

-do aeroporto para a cidade fui de táxi e paguei 900 rublos, que é o preço de tabela. Queriam me cobrar 1.400 mas apontei para o cartaz com os preços. Depois não vi mais muitos táxis pelas ruas. Andei muito a pé e de metrô.

-dá para trocar dinheiro em várias casas de câmbio pela cidade e o câmbio é meio parecido, não precisa ficar caçando uma boa taxa de conversão. Um dólar dá cerca de 30 rublos.

Vista do entardecer no bar do Hotel W, que tem double drinks no happy hour. Mas o bar do lobby é mais cozy, com lareira no inverno.

Vista do entardecer no bar do Hotel W, que tem double drinks no happy hour. Mas o bar do lobby é mais cozy, com lareira no inverno.

-achei uma cidade cara. Os cafés, restaurantes e bares que fui tinham o preço meio “internacional”. Até tem lugares mais baratos, mas toda a função de não saber ler o cardápio, não conseguir falar com ninguém me dá preguiça. ;-)

-foi meio empenho a caminhada, mas o museu de arte contemporânea Erarta vale muito a pena.

Screen shot 2013-04-30 at 11.02.59 AM

Dá para fotografar à vontade e também usar a rede wi-fi grátis no Erarta!

-Outro lugar muito bacana, com um povo cool é o Loft Project Etagi. Tem um restaurante orgânico (Café Green Room) superanimado e um bar descolado (Sever), além de exposições de arte e um albergue da juventude.

Bar Sever

Bar Sever

Restaurante Green Room

Restaurante Green Room

-Starbucks já chegou na Rússia, e McDonald’s tem por todos os lados. Mas preferi ir aos cafés de redes russas, que têm cardápio em inglês. O Schastye, na frente da St Isaac é uma delícia. Já o Café Singer, na Nevski Prospect, é um pouco caro, mas tem uma vista incrível.

O Schastye é uma delícia e tem uma vista incrível para a St Isaac

O Schastye é uma delícia e tem uma vista incrível para a St Isaac

Chocoladnitsa é uma rede russa de cafés ótima!

Chocoladnitsa é uma rede russa de cafés ótima!

-A cidade é bem segura, dá para caminhar por todos os lados, inclusive de madrugada. Depois das 23h não dá para comprar álcool em supermercados e lojas de conveniência.

-Quase todos os lugares têm wi-fi grátis e livre.

-Restaurantes que recomendo: Teplo, Sadko, Baltika Brew (must go) e Elki Palki (comida russa, must go). Fui ao Kasbah e não fiquei impressionado.

Decoração meio kitsch do restaurante Sadko

Decoração meio kitsch do restaurante Sadko

Baltika Brew é uma cervejaria ótima, com baladinha e boa comida!

Baltika Brew é uma cervejaria ótima, com baladinha e boa comida!

Rede de restaurantes com comida típica russa Elki Palki. Muito gostoso!

Rede de restaurantes com comida típica russa Elki Palki. Muito gostoso!

 

HELSINKI

Screen shot 2013-04-30 at 11.21.43 AM

-como cheguei na Páscoa, estava tudo muito quieto. E já havia estado, por isso não fui outra vez ao Kiasma, Suomenlinna, etc. Tentei visitar a igreja Temppeliaukion, mas fecha pontualmente às 17h. Vá cedo.

-a cidade é um ovo e dá para fazer tudo a pé.

-fiquei hospedado no hotel Klaus K, super bonito, com um café da manhã incrível, um restaurante italiano ótimo na entrada (Toscanini) e o bar mais animado da cidade.

O melhor café da manhã da cidade é o do hotel Klaus K

O melhor café da manhã da cidade é o do hotel Klaus K

Restaurante Toscanini

Restaurante Toscanini

Saslik é um restaurante russo incrível, à la czar. Vale muito a pena. Mas o lendário Sea Horse também é interessante, se bem que com um décor meio 1970. Pedi o filé acebolado e é maravilhoso.

Filé do Restaurante Sea Horse

Filé do Restaurante Sea Horse

-no fim de tarde, tomar uma taça de champanhe no Maittolaituri is a must.

Mesmo com 10 graus negativos, o terraço do Maittolaituri estava lotado!

Mesmo com 10 graus negativos, o terraço do Maittolaituri estava lotado!

-outro lugar que bomba no final da tarde e pode ficar um pouco apertado é o bar Atelijé na cobertura do hotel Torni.

Vista panorâmica do bar do hotel Torni (Atelijé)

Vista panorâmica do bar do hotel Torni (Atelijé)

 

AMSTERDÃ

Screen shot 2013-04-30 at 11.32.55 AM

-foi uma passada rápida. Fiquei no Notting Hill Hotel, comi no Wagamama e no Van Rijn Kitchen & Bar. Mas é incrível a quantidade de pequenos restaurantes bacanas por todas as ruas da cidade. Como estava sozinho, acabei escolhendo dois mais impessoais. Se bem que no Van Rijn eu comi superbem.

À noite o Van Rijn fica com uma iluminação bem bacana.

À noite o Van Rijn fica com uma iluminação bem bacana.

-usei o Google Maps para pegar bondes e funciona às mil maravilhas. Dá para comprar o bilhete com o cobrador.

BOA VIAGEM!

Anúncios

São Paulo – Addis Abeba a partir de Junho de 2013

Screen shot 2013-03-01 at 4.24.54 PM

Sabia que a Ethiopian Airlines vai começar a voar de São Paulo e Rio de Janeiro para a capital da Etiópia a partir de 1 de junho de 2013? Ou seja, em poucos meses vai ser possível embarcar para um dos países mais exóticos da África, com uma parada em Lomé, capital do Togo!

Há uma promoção de ida e volta por USD 1.500 no site da Ethiopian. E você ainda ganha milhas no Fidelidade TAM / Multiplus pois ela é membro da Star Alliance! O bom é que a malha aérea da empresa no oeste da África é bem interessante. Ela voa para lugares como Ruanda, Burundi e outros países menores com mais frequência do que a South African, através do hub de Johannesburgo.

Quem gosta de novidades não pode deixar de fazer um pit stop em Lomé, ida ou na volta! Depois conta para nós o que tem lá para fazer! ;-)

_parte 1: Entrando na Twilight Zone

Perdi noção das horas. Meu corpo já não sabe mais se as 11 horas do relógio são da manhã ou da noite. Dentro do avião está escuro e tem até estrelinhas brilhando no teto, mas dá para ver pelas frestas das janelas que o sol brilha lá fora. Uma olhada na tela da minha frente diz que estamos sobrevoando a fronteira entre o Chade e o Sudão. Se tivéssemos que fazer um pouso forçado, será que iriam me levar para o Sheraton Khartoum? Fisicamente, queria me jogar em uma cama macia, de lençóis brancos e cheia de travesseiros. Não sem antes tomar um longo banho para lavar os meus cabelos, que nunca estiveram tão oleosos.

Só que ainda estou no meio da jornada entre Curitiba e Tóquio. Faltam as três horas de voo até Dubai, algumas horas perambulando pelo terminal no melhor estilo zumbi pós-moderno e 9 horas de voo até Narita, no impressionante Airbus A380.

Acho inacreditável e ainda fico surpreso com a possibilidade de entrar em um avião no Rio de Janeiro e, 14 horas e 7 fusos-horários depois, ser despejado em um terminal futurista no coração do Oriente Médio. O corpo viaja mais rápido do que a alma.

Já comi, já dormi, já assisti a todos os episódios da primeira temporada de 2 Broke Girls, já caminhei várias vezes até a fileira 21 (estou na 47, perto do rabo) e não consigo escolher um filme para assistir devido à enorme oferta. São mais de 1.500 programas, entre filmes, séries de TV, documentários, podcasts e jogos. Trouxe um livro, mas estou muito cansado para ler letras e tentar fazer sentido do escritor Haruki Murakami, em espanhol.

Por isso resolvi escrever, antes que sirvam nosso jantar, ou almoço, ou café da manhã, dependendo de qual relógio eu olhar. O meu, que ainda está no horário do Brasil, o do avião, que mostra o horário do sudanês ou o do destino. Isso sem contar que em Tóquio as pessoas já estão indo dormir, pois o sábado lá já acabou. O meu não existiu.

É a primeira vez que voo de Emirates depois de 6 anos. Houve uma época em que voo da Emirates para mim era mais fácil do que pegar táxi. Dubai-Londres, Sydney-Dubai, Malta-Trípoli, Hong Kong-Bangkok, Dubai-Nova York. Eu conhecia cada compartimento, cada barulho, cada tipo de avião. E a empresa continua impressionando. Fico chocado com o tamanho da tela de TV pessoal, com a iluminação da cabine, que simula tanto o nascer quanto o por do sol. A atenção do pessoal de cabine, a qualidade da comida, a oferta de bebidas e até com o conforto do assento (leia-se conforto com várias aspas, em se tratando de classe econômica).

Bem, chegou a hora de escolher entre o tajine marroquino de cordeiro ou o frango com feijão preto. Por hora é isso. Quando puder, escrevo mais.

Novidades nos aeroportos do Brasil

Gostaria de compartilhar algumas novidades que li ou experimentei nas últimas semanas:

• Quem está acostumado a fazer busca de preços de passagens internacionais baratas sempre partindo de GRU deve começar a pesquisar também de GIG. Já são várias as companhias aéreas que voam tanto para GRU quanto para GIG e tenho visto que muitas vezes saindo de GIG o preço fica de 200 a 300 dólares mais barato. A Air France, a KLM e a Emirates são algumas delas.

• A companhia aérea Etihad, baseada em Abu Dhabi, anunciou que voará para GRU a partir de junho de 2013. Sendo assim, as três famosas empresas do Oriente Médio marcaram presença por aqui. A Emirates já voa duas vezes por dia de Dubai para o Brasil (GIG e GRU). A Qatar voa diariamente para GRU e há boatos que em 2013 passará a operar GIG.

• A TAM passou a operar o Boeing 777 na rota GRU-MIA. Apesar da configuração na Classe Econômica ser 3-4-3 assentos (odeio ficar no meio) o avião é mais espaçoso do que o Airbus 330, principalmente no que diz respeito a compartimentos de bagagem de mão.

• A TAM também passa a operar a rota GIG-MCO (Orlando) em Novembro. Serão três voos diários diretos entre o Brasil e a cidade da Disney, dois de GRU e um de GIG.

• A American Airlines (companhia que eu detesto, mas novidade é novidade) inaugura um voo diurno de GRU para JFK para concorrer com o da TAM. A rota Salvador-Recife-Miami de divide em duas e haverá voos tanto de Salvador quanto de Recife para a Flórida. Lembrando que a AA também voa de Manaus, Belo Horizonte e Brasília para Miami direto (bem como a TAM).

• A Emirates e a Qantas passarão a operar as rotas para a Austrália em conjunto. A QF vai transferir seu centro de conexões de Singapura para Dubai. Acredito que assim que isso acontecer, passaremos a ter bilhetes do Brasil para a Austrália, via Dubai, com melhores preços. Se bem que nada bate em conforto o voo Buenos Aires – Sydney direto que a QF faz. Mas como em aviação nem sempre conforto é igual a preço bom, vamos fazer o caminho mais longo.

• Outra empresa que marca presença forte por aqui é a Copa Airlines, com base na Cidade do Panamá. Já viajei com eles várias vezes. Os aviões são um pouco pequenos e os assentos apertados. O serviço é médio e as refeições também. Mas sempre há ótimos preços, principalmente para a América Central, Caribe, México, Canadá e EUA. As conexões em PTY são geralmente rápidas e também dá para acumular milhas Fidelidade/Multiplus por fazer parte da Star Alliance. Porto Alegre, São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife e Manaus têm ligações diretas com a Copa.

• E por último, algo que não tem muito a ver com avião. Mas descobri que quem viaja para os EUA sem precisar de visto (passaportes europeus, por exemplo) tem que pagar pelo ESTA, que é a pré-autorização de entrada nos EUA. Antes era de graça. Só certifique-se que está preenchendo tudo no site oficial do governo americano. É bom imprimir o código de autorização de entrada, que tem validade de 2 anos. A cada ida aos EUA, é preciso preencher os dados no sistema antes do embarque. O bom é que não precisa mais preencher aquela ficha verde antes da imigração. Vai só com o passaporte e com o papelzinho azul da alfândega.

Tô indo para a Itália : um guia completo

O guia “Tô indo para a Itália” de Márcio Jardim, está à venda na LikeStore da Pulp.

Quem está planejando conhecer a Itália, agora tem um grande aliado para guiar tanto nas pesquisas preliminares quanto durante toda a viagem pelo país. O guia “Tô indo para a Itália” é o resultado de meses de pesquisa de Márcio Jardim, que publica o blog de mesmo nome e tem informações incríveis sobre várias cidades italianas.

Márcio ensina a planejar desde a poupança para a viagem, passando pela compra de passagens aéreas e passes de trem, por sites de reservas de hotéis e albergues até chegar ao roteiro dia a dia da viagem. Não fica nada de fora.

O autor detalhou tudo o que há para fazer nas cidades mais importantes da Itália

O mais interessante é que Márcio queria fazer uma viagem sem gastar com supérfluos. Por isso tinha, antes de sair do Brasil, uma prévia de gastos de cada atração, cada refeição e cada coisa que queria fazer. Ao longo da viagem, ele comparava o que havia gasto com o que havia planejado. No final do guia ele presta contas ao leitor.

Planilha diária de custos da viagem do autor, com prestação de contas

Para quem tem pouca experiência em viagens internacionais, “Tô indo para a Itália” é companhia essencial. Tenho certeza que sua experiência pelas ruas de Roma, Milão, Veneza, Florença e Nápoles serão muito mais interessantes com ele a tiracolo.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS:

Nome: Tô indo para a Itália

Autor: Márcio Jardim

Tamanho: 15x21cm – 224 páginas coloridas e ilustradas

Cidades e regiões: Milão | Lago di Como | Turim | Verona | Pádua | Vicenza | Veneza | Florença | Pisa | Lucca | San Gimignano | Siena | Arezzo | Cortona | Cinque Terre | Assis | Roma | Vaticano | Pompeia | Sorrento | Capri | Positano | Nápoles | trens

Preço: R$ 45,00 (inlcui a postagem para todo o Brasil por carta simples dos Correios)

Venda através do blog do autor ou pela LikeStore da Pulp Edições. Ao entrar na página, basta clicar no ícone CLIQUE & COMPRE

Voos diurnos, I love them!

Prezado leitor,

Bom dia, tudo bem? Acabei de acordar, aqui em Nova York. Vim para ver amigos, me divertir, mas também para dar os últimos retoques na nova edição do Minha Nova York, de Didi Wagner, que vai para a 3a impressão.

Pois bem, peguei um voo que saiu de Guarulhos às 9 da manhã e chegou aqui às 6 da tarde. Maravilhoso! Resolvi escrever e contar como eu gosto desses voos pois tem gente que acha um absurdo passar um dia das férias/feriado dentro de um avião.

O que mais gosto nesses voos é que não é preciso dormir. Nos voos que saem à noite e viajam toda a madrugada, nos despejando em salões de imigração com dores nas costas, remelas nos olhos e olheiras estragam o primeiro dia de viagem. Depois a gente chega no hotel e não pode fazer check-in porque o quarto fica pronto só no meio da tarde.

Ontem eu acordei bem cedinho, fui para o aeroporto e vim trabalhando com meu laptop. Vi um filme, tomei um vinhozinho, dei uma cochilada e quando me dei conta, estávamos aterrissando em JFK.

Tanto Guarulhos quanto JFK estavam vazios, sem filas, empurra-empurra e espera na imigração. Uma hora depois de pousar eu já estava fazendo check-in no hotel. O quarto estava pronto, claro. Tomei um banho e fui jantar. Quando deu meia-noite eu estava cansado, vim dormir. Dormi bem, pois era noite e agora acordei com a corda toda.

Outra coisa que um voo diurno faz, é dar a sensação de que moro muito perto de Nova York. Imaginem que acordei na minha cama, tomei café da manhã na minha cozinha, trabalhei à tarde toda como se estivesse no escritório e, às 6 da tarde estava em um táxi, cruzando a Brooklyn Bridge.

Se tivesse escolhido um voo noturno, teria ficado mais tempo no aeroporto, teria dormido mal, teria ficado mais tempo em filas e chegaria aqui acabado (voo de classe econômica, ok?). Passaria o dia todo bebendo galões do Starbucks e Coca Cola para ter cafeína no sangue…

Bem, resumo da ópera. Se for pedir meu conselho, digo que viaje em voos diurnos. Mas se a opção for somente à noite, não diga não, afinal, oportunidades de viagem não aceitam desaforos!

Agora vou parar de escrever pois Nova York me espera! Bom fim de semana para todos!

V

Preços diferentes para cada tipo de internauta – alerta!

Você sabia que, ao navegar nos sites de reservas de hotéis e passagens, estamos sujeitos a algo relativamente novo, chamado de “personalização de preços”? Li em um artigo da revista Economist desta semana e gostaria de compartilhar com vocês a informação, pois fiquei alarmado.

Quando vamos atrás de uma passagem, o site em que estamos navegando faz uma busca pela nosso histórico de navegação. Ele tenta ver que tipos de sites a gente visitou para tentar descobrir qual a nossa classe social. Ele também tenta descobrir, através do IP, em que bairro da cidade você mora. Com isso ele monta um perfil do tipo de consumidor que você pode ser e os preços ofertados no site são “personalizados” de acordo. O mais grave é que, quem usa computadores da Apple, recebe ofertas de preços mais altos do que quem navega de um PC. O Orbitz é um dos sites que faz isso.

Li também que se você é do tipo de pessoa que sabe o que quer, que entra no site, vê o hotel ou a passagem e vai para o check-out sem titubear, perde a chance de receber uma oferta de desconto antes de fazer o pagamento. A sugestão da revista é que, antes de concluir a compra, você fique navegando em busca de outras coisas, até o site mandar um cupon ou código de desconto.

Ainda não surgiu um software que possa “enganar” estes programas, mas, a partir de agora, vou passar a ir atrás de minhas viagens de um PC velho que tenho em casa. Se notar alguma diferença, conto para vocês!

Para ler a matéria na íntegra em inglês, clique AQUI.

Ah, e acabou de dar na Folha de São Paulo. Para ler, clique AQUI.

A Pulp atrás das melhores dicas para a sua viagem!

Hoje, ao invés de palavras, resolvemos postar nosso novo vídeo, para mostrar o “árduo” trabalho que temos em dar voltas ao mundo atrás das dicas mais bacanas para nossos guias. Quem viaja com um guia da Pulp, sabe que vai conhecer mais do que destinos. Vai vivenciar os lugares, experimentar sensações e compreender um pouquinho mais sobre as cidades. Bem-vindos ao mundo da Pulp!

O dólar subiu. E como ficam as férias?

Desde que o dólar passou dos R$ 2, tenho lido inúmeras matérias que dizem que o fluxo de turistas brasileiros para o exterior vai despencar e que chegou a vez do turismo no Brasil.

Bem, tenho minhas dúvidas.

Há dois ou três anos, o dólar custava ainda mais do que R$ 2 e os voos para Miami, Nova York, Buenos Aires e Europa estavam lotados. As pessoas faziam enxovais de bebê na Flórida e passavam o Réveillon em Paris como nunca.

Ao mesmo tempo, viajar dentro do Brasil era caro. Por mais que haja muitas ofertas de passagens aéreas, bons hotéis e restaurantes do Oiapoque ao Chuí têm preços elevados. Já tentou ver quanto sai um pacote para Fernando de Noronha? E quanto custa a diária de um hotel básico em Ipanema? Já foi jantar no Spot, em São Paulo?

Mesmo com o dólar mais alto, estes preços não vão mudar, já que pagamos em reais (e no mercado do turismo de luxo, vários preços são indexados em dólar). E a diferença de valores com os custos de viagens para o exterior ainda permanece alta. Um tênis em Miami custa bem menos do que em Cuiabá, assim como vários outros produtos que a gente adora. Em Paris, é possível encontrar hotéis com diárias ao redor de 80 euros. Quero ver quem vai ficar em um hotel de R$ 180 no centro de São Paulo. Até o Ibis custa mais do que isso.

Por isso, se você tem vontade de ir para o exterior, não se desespere nem desista dos seus planos. Siga em frente, mas siga também algumas dicas para tentar economizar os 20% de diferença entre o dólar de R$ 1,70 e o de R$ 2,10.

• manere nas compras. Traga o que realmente gostar, sem ir para a “gula” consumista.

• procure usar mais transporte público e andar a pé do que pegar táxis.

• tente reservar hotéis que ofereçam o café da manhã incluso na diária.

• na hora do almoço, escolha os menus do dia, que geralmente têm valores mais interessantes do que à la carte.

• vários museus e atrações oferecem entrada grátis em alguns dias do mês ou da semana.

• se for visitar muitos museus (em Nova York, Paris etc), compre um daqueles cartões de vista à cidade em que por um valor único, você pode entrar em vários.

• tente não usar o cartão de crédito.

• ao invés de levar dinheiro vivo, prefira os cartões Visa Travel Money, já que o IOF deles é mais baixo do que o do cartão de crédito e você não vai precisar ir a casas de câmbio, que sempre ficam com um percentual do seu dinheiro.

• organize um orçamento diário para a viagem e mantenha controle dos gastos.

• se beber, não vá às compras. ;-)

Várias outras dicas interessantes de como viajar sem estresse estão no guia que escrevi, chamado Manual de Viagem. Check it out!

MAIS DICAS!!!

Passei o resto da tarde pensando em outras dicas e me veio a cabeça o seguinte:

• não atenda ligações no celular nem faça chamadas ou use a internet no 3G. Prefira os spots Wi-Fi gratuitos em cafés, bares, hotéis e restaurantes.

• na Espanha, França e Itália, peça o café, suco ou água no bar e consuma ali, em pé. Sai mais barato do que sentado na mesa.

• na Inglaterra, quando for a um Starbucks, Pret a Manger e lugares assim, diga que é take away, pois cobra-se uma taxa para comer no restaurante (dine in).
• compre água, bebidas e comidinhas em supermercados para fazer lanches durante o dia.
Se lembrar de mais coisas, volto a escrever! ;-)

Manual de Viagem: reserva de hotéis com a Tablet

Existem centenas de sites de reservas de hotéis. Mas claro que a gente sempre acaba preferindo um ou outro. Eu, por exemplo, adoro o Tablet Hotels. Porque? Por que eles têm uma seleção super eclética de hotéis, com preços que vão do econômico ao extravagante. Quando quero saber de novidades em Paris, Nova York ou qualquer outra grande cidade, sempre dou uma olhadinha no site deles para ver o que tem de novo.

Outra coisa bacana é que a Tablet sempre manda informações legais, tem uma trilha sonora diferente para baixar e quem quiser fazer parte do Tablet Plus, recebe regalias em vários hotéis e uma revista bem bacana. Recomendo!

Manual de Viagem: moedas

Hoje escrevo para contar uma curiosidade, que acho bastante interessante. É sobre moedas dos diferentes países. Desde pequeno eu tenho coleção de notas e moedas. Sempre que viajo para um lugar diferente eu trago algumas novidades. Imaginem que tenho florins holandeses, francos franceses, liras italianas, pesetas espanholas e até dracmas gregos, que já não existem mais.

Mas na verdade comecei o assunto porque queria contar que há bem pouco tempo, dois países lançaram símbolos novos para as suas moedas. O dólar é conhecido de todos, com o cifrão $ inconfundível. Ele também é adotado por várias outras moedas, como o nosso Real, no símbolo R$. O euro, a libra esterlina e o iene japonês tem cada um seu símbolo e, por serem moedas fortes há anos, muita gente os conhece.

Só que dois países emergentes, a Índia e a Turquia, resolveram que gostariam de criar um símbolo único para suas moedas. Um concurso nacional foi feito em cada país e os símbolos eleitos agora fazem parte do dia a dia de indianos e turcos. Quem estiver a caminho de Mumbai ou Istambul vai se deparar com eles. Não estranhe…

 NOVO SÍMBOLO DA RÚPIA INDIANA

 NOVO SÍMBOLO DA LIRA TURCA

Como fazer o passaporte de crianças pequenas

Assim como para os adultos, é preciso fazer o agendamento online no site da Polícia Federal, preencher o formulário, separar a documentação original e pagar uma taxa. O menor deve estar presente com sua certidão de nascimento original e acompanhado dos pais, que devem levar documento de identidade original.

Adultos e crianças maiores de 3 anos tiram a foto na hora, já os menores de 3 anos devem levar uma foto 5×7 colorida e atual. Essa regra existe porque as crianças muito pequenas podem “travar” e não querer tirar a foto na hora.

É preciso, ainda, preencher o Formulário de Autorização para Obtenção de Passaporte para Menor.

Atenção: O passaporte tem validade de um ano para crianças menores de 1 ano, dois para menores de 2, três para menores de 3 e quatro para menores de 4. A partir dos 5 anos de idade, o passaporte passa a ter a mesma validade que o de um adulto, ou seja, cinco anos. Não é tão complicado nem demorado quanto parece. Basta acessar o site www.dpf.gov.br e seguir os passos.

Dica: Nos novos passaportes, o campo onde com o nome dos pais não aparece. A informação consta na Polícia Federal, mas para acessá-la é preciso “escanear” o passaporte. Para evitar problemas, recomendo levar a carteira de identidade ou certidão de nascimento das crianças. Com elas é possível comprovar que aquela criança é seu filho em check ins de hotéis, por exemplo.

Documentação para viajar: passaporte

Para cruzar fronteiras, é preciso ter documentos. Ao planejar uma viagem, leve em conta o tempo que leva para fazer o passaporte e os vistos, se necessários, a tempo.

Para viagens internacionais, o passaporte deve ter, pelo menos, 6 meses de validade. Isso quer dizer que, se você for amanhã para a Europa, deverá ter um passaporte que expire, ao menos, daqui a 6 meses.

Para solicitar um passaporte ou renovar o que você já tem, pode levar tempo, já que agora há um sistema de agendamento automático na Polícia Federal. Em épocas de muita procura, pode tardar até 2 meses para conseguir um agendamento. Não deixe para a última hora. Se o teu passaporte está para vencer daqui a 6 meses, marque sua renovação hoje mesmo.

Lembre-se que para viajar para os países da América do Sul (menos para as Guianas), basta levar o RG, que deve estar em bom estado de conservação. Mas prefira o passaporte.

Muito mais informações sobre como requerer o passaporte, quais países pedem vistos, como se preparar para ir à Europa etc estão no guia Manual de Viagem.

Manual de Viagem: mudanças na documentação

Quando publiquei a segunda edição do Manual de Viagem, a Receita Federal ainda não havia mudado as regras da documentação de entrada no Brasil. Foi na minha viagem de Réveillon que confirmei que agora não é mais preciso preencher a DECLARAÇÃO DE BAGAGEM ACOMPANHADA ao voltar para o Brasil do exterior.

Muitas companhias aéreas ainda estão distribuindo o formulário nos voos e muitos passageiros ainda estão perdendo tempo preenchendo o papel. Só quem vai declarar alguma coisa é que precisa preencher. Senão, brasileiros em volta ao país não precisam preencher nenhum formulário. É só entrar na fila de imigração com o passaporte aberto na página da foto e, depois de recolher a bagagem, seguir direto para a fila de NADA A DECLARAR. E pronto!

Boas viagens,

Vicente

Nessas horas, muita calma.

Amanhã cedo eu (Vicente) embarco em mais uma viagem. Dessa vez foi um convite da minha mãe, que faz aniversário no dia 24 e queria comemorar de uma maneira diferente. Ela convidou meu pai, meu irmão, alguns tios e eu para passarmos 1 semana dentro de um barco na Croácia. Claro que topei na hora pois 1) adoro viajar, 2) e quem recusa uma viagem “boca livre” e 3) aniversário da mãe é aniversário da mãe, né?

Acontece que há uma semana a Air France (sim, vou de Air France enquanto todo mundo vai de TAM, sou “do contra”) está com o pessoal da manutenção em greve e vários dos voos para o Brasil estão atrasando muito ou estão sendo cancelados. A apreensão de não chegar em Split a tempo de zarpar aumenta a cada hora. Entro no site da AF de hora em hora para ver como estão os horários dos voos. Bem, até agora parece que tá tudo bem. Pelo menos o avião que vai fazer o meu voo está programado para sair de Paris daqui a pouco.

Mas, como tudo nessa vida é complexo, os comissários da AF anunciaram que vão entrar em greve entre os dias 29 de julho e 1 de agosto. Adivinhem que dia eu volto? 31 de julho, bem no meio da greve. Daí já tentei ver se dá para voltar de TAM, Lufthansa, TAP, Iberia, Swiss, Alitalia ou o que quer que seja. Niente. Como é o auge da alta estação, todos os voos estão lotados. Então, resolvi relaxar. Se tiver que esperar horas a fio em um aeroporto, que assim seja. Afinal, não ensino para todo mundo no Manual de Viagem que imprevistos acontecem? Para me distrair, vou ficar postando novidades via Facebook ou Twitter (@vfrare).

Só que o mais engraçado é que eu não sou muito chegado em praias, navegação e barcos. Tanto que é a minha primeira vez dormindo em alto mar. E a última vez que passei mais de dois dias viajando junto com meus pais e meu irmão foi em 1982, quando fomos para a Disney pela primeira vez. Imaginem que minha mãe já veio me pedir para colocar as malas dela na minha cabine, já que vou ser o único em “single accommodation”. Já vi que meu quarto vai virar o depósito do povo, só porque sou solteiro.

Pois bem, vou tentar postar novidades durante a viagem. Senão, na volta eu conto como foi. Se demorar para escrever é porque fui jogado aos tubarões em alto mar…

Viajar para poder contar…

Fernanda e seu marido, Fhabyo, nos mares da Croácia. Segundo ela, não há no mundo água do mar mais transparente do que no Adriático.

Sabem porque os guias de viagem da Pulp são tão bons? Porque estamos constantemente “na estrada” testando, visitando, conhecendo e trazendo para nossos leitores o que há de mais novo e interessante. Quem pôde ir a Nova York com o guia Minha Nova York, da Didi Wagner, com certeza conheceu e experimentou uma cidade cheia de lugares incríveis. A Fernanda esteve na Croácia há 15 dias e voltou com muita novidade sobre este destino que está cada vez mais na moda. A Patricia foi com os filhos para Londres e Paris, para poder continuar contando para as pessoas como é viajar com os filhos (sem enlouquecer, claro). – veja o post no blog dela –

Patricia com os filhos no 3º andar da Torre Eiffel.

O Vicente e a Vanessa estiveram em Foz do Iguaçu para ver de perto o Parque Nacional do Iguaçu. Fiquem alertas pois dali vem novidade! :-) Na volta, ele foi para Nova York ver de perto as dicas da Didi Wagner. Fez tanta coisa que chegou à conclusão que um livro Nova York de Cinema pode ser feito, já que o Europa de Cinema fez tanto sucesso.

Vicente e Vanessa nas Cataratas do Iguaçu. Novos projetos no horizonte...

 

Essa é a Nova York do Vicente!

nossa!

Travel Map
I’ve been to 326 cities in 85 countries
Africa
Egypt: Cairo
Egypt: Dhahab
Egypt: Nuwaybi’
Ghana: Accra
Kenya: Nairobi
Libya: Tripoli
Mauritius: Mauritius
Nigeria: Lagos
Seychelles: Mahe
South Africa: Cape Town
South Africa: Cape of Good Hope
South Africa: Durban
South Africa: Franschhoek
South Africa: Hermanus
South Africa: Johannesburg
South Africa: Llandudno
South Africa: Paarl
South Africa: Pretoria
South Africa: Simon’s Town
South Africa: Stellenbosch
South Africa: Sun City
Tanzania: Dar es Salaam
Tunisia: Carthage
Tunisia: Hammamet
Tunisia: Sidi Bou Said
Tunisia: Sousse
Tunisia: Tunis
Asia
Bangladesh: Dhaka
Cambodia: Siemreab
China: Beijing
China: Hangzhou
China: Shanghai
China: Suzhou
China: Xi’an
Hong Kong (SAR): Central District
Hong Kong (SAR): Kowloon
Hong Kong (SAR): Tsim Sha Tsui
India: Agra
India: Delhi
India: Jaipur
India: Kolkata
India: Mumbai
India: New Delhi
Indonesia: Bali
Indonesia: Denpasar
Indonesia: Jakarta
Indonesia: Kuta
Indonesia: Ubud
Indonesia: Yogyakarta
Japan: Harajuku
Japan: Kyoto
Japan: Matsumoto
Japan: Nagoya
Japan: Nara
Japan: Osaka
Japan: Tokyo
Macau: Macau
Malaysia: Johor Bahru
Malaysia: Kuala Lumpur
Malaysia: Melaka
Maldives: Maldive Islands
Myanmar (Burma): Mandalay
Myanmar (Burma): Pagan
Myanmar (Burma): Yangon
Nepal: Bhaktapur
Nepal: Kathmandu
Philippines: Manila
Singapore: Singapore
South Korea: Seoul
Taiwan: T’ai-pei
Thailand: Ayuthaya
Thailand: Bangkok
Thailand: Chiang Mai
Thailand: Hua Hin
Thailand: Phuket
Turkey: Istanbul
Vietnam: Ha Noi
Caribbean
Aruba: Aruba
Central America
Guatemala: Guatemala
Guatemala: Panajachel
Guatemala: Santiago Atitlan
Guatemala: Tik’al
Panama: Panama
Europe
Austria: Bregenz
Austria: Innsbruck
Austria: Salzburg
Austria: Vienna
Belgium: Antwerpen
Belgium: Bruges
Belgium: Brussels
Bulgaria: Sofiya
Czech Republic: Prague
Denmark: Copenhagen
Denmark: Helsingor
Finland: Helsinki
Finland: Kotka
France: Annecy
France: Antibes
France: Beaune
France: Besancon
France: Cannes
France: Carcassonne
France: Chambord
France: Chenonceaux
France: Grasse
France: Nancy
France: Nice
France: Paris
France: Saint-Paul
France: Tours
France: Villandry
Germany: Baden-Baden
Germany: Berlin
Germany: Bremen
Germany: Dresden
Germany: Fussen
Germany: Hamburg
Germany: Heidelberg
Germany: Heidelberg
Germany: Koln
Germany: Konstanz
Germany: Kreuzberg
Germany: Lindau
Germany: Munich
Germany: Tempelhof
Greece: Athens
Greece: Athina
Greece: Mykonos
Holy See (Vatican City): Vatican City
Hungary: Budapest
Iceland: Keflavik
Iceland: Reykjavik
Iceland: Thingvellir
Ireland: Cork
Ireland: Dublin
Ireland: Limerick
Italy: Bergamo
Italy: Bolzano
Italy: Catania
Italy: Florence
Italy: Genova
Italy: Manarola
Italy: Messina
Italy: Milano
Italy: Milano
Italy: Napoli
Italy: Pisa
Italy: Pompei
Italy: Rome
Italy: Siracusa
Italy: Taormina
Italy: Treviso
Italy: Venice
Italy: Vernazza
Liechtenstein: Vaduz
Luxembourg: Luxembourg
Monaco: Monaco
Monaco: Monte-Carlo
Netherlands: Amsterdam
Norway: Bergen
Norway: Lofoten
Norway: Narvik
Norway: Oslo
Poland: Krakow
Poland: Warsaw
Portugal: Cascais
Portugal: Estoril
Portugal: Lisboa
Portugal: Obidos
Portugal: Sintra
Romania: Bucharest
Russia: Moscow
Slovakia: Bratislava
Spain: Barcelona
Spain: Bilbao
Spain: Cordoba
Spain: Figueras
Spain: Gijon
Spain: Granada
Spain: Madrid
Spain: Maspalomas
Spain: Oviedo
Spain: Santander
Spain: Sevilla
Spain: Sitges
Spain: Tarragona
Spain: Zaragoza
Sweden: Helsingborg
Sweden: Linkoping
Sweden: Stockholm
Switzerland: Aigle
Switzerland: Basel
Switzerland: Bern
Switzerland: Fribourg
Switzerland: Geneve
Switzerland: Glion
Switzerland: La Tour-de-Peilz
Switzerland: Lausanne
Switzerland: Le Chalet-a-Gobet
Switzerland: Luzern
Switzerland: Montreux
Switzerland: Sierre
Switzerland: Sion
Switzerland: Vevey
Switzerland: Villeneuve
Switzerland: Zermatt
Switzerland: Zurich
United Kingdom: Bath
United Kingdom: Birmingham
United Kingdom: Brighton
United Kingdom: Cambridge
United Kingdom: Eastbourne
United Kingdom: Edinburgh
United Kingdom: Glasgow
United Kingdom: London
United Kingdom: Manchester
United Kingdom: Oxford
Middle East
Bahrain: Al Manamah
Israel: Elat
Israel: En Gedi
Israel: Jerusalem
Israel: Massada
Israel: Tel Aviv
Jordan: Al ‘Aqabah
Jordan: Amman
Jordan: Jarash
Jordan: Wadi Musa
Jordan: Wadi Rum
Lebanon: Beirut
Oman: Muscat
Qatar: Ad Dawhah
United Arab Emirates: Abu Dhabi
United Arab Emirates: Al Fujayrah
United Arab Emirates: Dubai
United Arab Emirates: Jumayrah
Yemen: Sanaa
Yemen: Sanah
North America
Canada: Montreal
Canada: Quebec
Canada: Toronto
Canada: Vancouver
Mexico: Cancun
Mexico: Chichen-Itza
Mexico: Mexico City
United States: Fort Lauderdale
United States: Las Vegas
United States: Los Angeles
United States: Miami
United States: Miami Beach
United States: Monterey
United States: Napa
United States: New York
United States: Orlando
United States: Saint Louis
United States: San Diego
United States: San Francisco
Oceania
Australia: Alice Springs
Australia: Bondi
Australia: Brisbane
Australia: Cronulla
Australia: Fremantle
Australia: Manly
Australia: Melbourne
Australia: Perth
Australia: Sydney
Cook Islands: Cook Islands
Cook Islands: Rarotonga
New Zealand: Auckland
New Zealand: Christchurch
South America
Argentina: Bariloche
Argentina: Buenos Aires
Argentina: Puerto Iguazu
Brazil: Brasilia
Brazil: Campo Grande
Brazil: Canela
Brazil: Curitiba
Brazil: Fortaleza
Brazil: Guaira
Brazil: Iguacu
Brazil: Londrina
Brazil: Maceio
Brazil: Manaus
Brazil: Maragoji
Brazil: Porto Alegre
Brazil: Recife
Brazil: Salvador
Brazil: Salvador
Brazil: Sao Paulo
Chile: Santiago
Chile: Valparaiso
Colombia: Bogota
Colombia: Medellin
Ecuador: Quito
Paraguay: Asuncion
Paraguay: Ciudad del Este
Peru: Cusco
Peru: Lima
Peru: Puno
Uruguay: Montevideo
Venezuela: Caracas

Trabalhando na Gran Vía

A Gran Vía de Madri está completando 100 anos. Durante todo o ano, vários eventos e festas acontecerão (e já aconteceram) para festejar a rua mais famosa da capital espanhola. Encontrei esta foto tirada em um café em plena Gran Vía, no mês de abril, quando fui até a Espanha para um casamento. Estava finalizando o texto do livro Manual de Viagem. Nada melhor do que acabá-lo em grande estilo, com um cappuccino e um croissant. Na Gran Vía, por supuesto.